SIMMMEI/FIEMG doa 25 respiradores para Hospital de Clínicas e Santa Casa de Itajubá

O Hospital de Clínicas (HCI) e a Santa Casa de Misericórdia receberam 25 respiradores, doados pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), para reforçar a estrutura de atendimento aos pacientes vítimas da Covid-19. Ambos são referência para o atendimento da microrregião de Itajubá, com uma população de 300 mil pessoas.

De acordo com a presidente da FIEMG – Regional Sul, Heloisa Bertoli, foram doados 207 respiradores mecânicos para 16 cidades da Regional Sul, contemplando 20 hospitais. Nesta terça-feira, 1º de setembro, o presidente do Sindicato das Indústrias de Itajubá (SIMMMEI), Henrique Sérgio de Paula, e a gerente do SIMMMEI, Elizangela Natálio, acompanharam o início da instalação dos novos equipamentos nos dois hospitais de Itajubá.

“A indústria mineira, incluindo as empresas de nossa região, está muito feliz em poder contribuir com os municípios e com as unidades de saúde que são referência no combate à Covid-19. Sem dúvida, são equipamentos fundamentais para o tratamento de pacientes graves”, disse Henrique Sérgio de Paula. De acordo com o último boletim epidemiológico da Prefeitura, de 1º de setembro, Itajubá registra 999 casos da doença, dos quais 24 óbitos.

Para o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, a doação de respiradores beneficiou todas as regiões do Estado. “São equipamentos que irão fazer toda a diferença para manter a pandemia sob controle. Respiradores que foram produzidos por mineiros, idealizados por mineiros e doados pelas indústrias mineiras. É mais um ato importante da indústria em defesa do nosso Estado, em defesa da nossa sociedade. Podem sempre contar com a FIEMG”, pontuou Flávio.

Em março deste ano, o SIMMMEI participou de campanha da Prefeitura de Itajubá para a compra de máscaras cirúrgicas padrão Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, máscara N95 (recomendada especialmente para profissionais que lidam com pessoas infectadas), aventais cirúrgicos, luvas, touca, álcool 70% e outros EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). As doações também foram para o Hospital de Clínicas e a Santa Casa.

Hospital de Clínicas

“Essa doação é muito importante para o Hospital porque, para o tratamento da Covid-19, o respirador precisa estar à disposição do paciente. Isso porque a doença provoca uma reação inflamatória grave, principalmente nos pulmões, e pode levar à dificuldade de respirar espontaneamente. Nesses casos, o respirador é um dos mecanismos de manutenção da vida”, explica o diretor executivo do Hospital de Clínicas de Itajubá, Rodolfo Souza Cardoso.

Com a doação de 15 respiradores pela FIEMG/SIMMMEI, o Hospital de Clínicas passa a contar com 60 aparelhos. Atualmente, tem uma área específica para atendimento de casos de Covid-19, isolada do restante do hospital, com uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com 20 leitos – podendo ser aumentado para 30 – e uma Enfermaria Clínica, com 40 leitos. “Há ainda a possibilidade de se criar mais 30 leitos, em uma área do 3º andar do hospital, que se ligaria diretamente a esse setor, que fica no 4º andar. A princípio, essa estrutura é suficiente para o atendimento da microrregião”, disse.

Santa Casa

“É de extrema importância essa doação para que possamos estar preparados e de portas abertas para poder atender a demanda que for necessária. Isso porque, de acordo com os dados, ainda não atingimos o platô da doença, o que indicaria o início da queda do número de casos em nossa microrregião”, disse a superintendente da Santa Casa de Misericórdia de Itajubá, Renata Finamor Alvarenga. A Santa Casa recebeu 10 novos respiradores.

Hoje, a Santa Casa conta com 10 leitos de UTI e 10 leitos clínicos de UTI para atendimento exclusivo de pacientes com a Covid-19. “Com essa doação, temos a possibilidade de ampliar em 10 leitos a capacidade da UTI. Por isso, somos gratos pela doação da FIEMG/SIMMMEI, que vem somar os esforços para continuar atendendo a população, que pode ficar tranquila: temos estrutura e equipe multidisciplinar altamente capacitada e humanizada para atender as necessidades”, destacou.