Com a correria de final de ano, você, querido(a) leitor(a), está lendo uma noticia que já virou um acontecimento do passado. No entanto, nós d’Os Gringos fizemos nossa primeira live, no dia 12 de dezembro.

Nós tínhamos uma escolha entre o palco no Parque da Cidade, com um show estilo drive-in, e o Teatro Municipal Christiane Riera, em Itajubá, realizando um live com transmissão pela Internet. Escolhemos nos adaptar à nova realidade que vivemos com a COVID-19. A opção foi fácil para nós, pois não tínhamos a intenção de criar mais aglomerações. Digo mais, nosso projeto sempre teve uma tendência para a Internet e, de certa forma, o exterior.

Me perdoem pela ousadia, mas sempre fomos um projeto inusitado e inesperado. Quem diria que quatro nativos dos EUA, que nunca tínhamos nos juntado na nossa terra mãe, iríamos nos encontrar com nosso querido baterista itajubense em 2014, aqui no Sul de Minas? Quem diria que iríamos produzir álbuns nos bairros Varginha e Porto Velho de músicas autorais que passaríam a ser consideradas como Melhor Disco do Ano por revistas no exterior?

Como jornalista, sempre busco os momentos que marcam a história da banda, e lhes digo que, mais uma vez, essa ficou (ficará) para a história. Ensaiar três vezes no Albatroz com apenas o técnico de som para nos acompanhar é uma viagem em si. Toca(re)mos para um teatro vazio, mas com um público cheio.

Estamos, inclusive você leitor(a), enfrentando um outro momento inusitado, infeliz e incerto. A pandemia tem tomado uma proporção e um prazo indesejado, e não sabemos o que o dia de amanhã nos traz. É por isso que, nós como integrantes d’Os Gringos agradecemos sua participação e acompanhamento ao longo de todo este tempo, e esperamos que vocês tenham aproveitado de nosso show. Obrigado!

Envie suas sugestões de pauta, críticas, comentários!

Por DANIEL FRIEND, guitarrista da banda Os Gringos, pai do Nicolas e colunista do GdM [email protected]