É preciso falar sobre a saúde masculina de forma séria e sem preconceitos!

Dr. Roberto Bob

A campanha Outubro Rosa é sucesso em todo o mundo e no Brasil. Chega o referido mês e os brasileiros abraçam o outubro com as fitas cor de rosa. Instituições, entidades, órgãos públicos e até o Cristo Redentor se iluminam em tons róseos para alertar sobre a importância da prevenção ao câncer de mama.

A seriedade para se tratar da questão tem origem: o câncer de mama é o que mais acomete mulheres no mundo. São cerca de 2,3 milhões de casos novos estimados ao ano. No Brasil, estima-se que neste ano teremos mais de 66 mil novos diagnósticos da doença que é, ainda, a primeira causa de morte por câncer das brasileiras. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer, o INCA.
Tristemente, a chegada do Novembro Azul, apesar de cada vez mais divulgada, ainda não tem o mesmo impacto. Estamos falando de um tabu, um preconceito, em relação ao exame de próstata.

O câncer de próstata, que é o tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve tumores malignos. Para se ter ideia da gravidade, um homem morre a cada 38 minutos, no país, devido ao câncer de próstata, aponta o INCA.

Mas o que é a próstata? É uma glândula localizada abaixo da bexiga do homem e sua função é produzir um líquido que auxilia na proteção dos espermatozóides. Também é graças à próstata que a urina e o sêmen não se misturam no canal da uretra.
Quais as doenças que ocorrem na próstata? As mais comuns são o crescimento exagerado da próstata (o que ocorre com muita frequência em homens com mais de 50 anos), o câncer (que atinge quase 70 mil brasileiros e mata 15 mil homens ao ano) e a prostatite (inflamação).

Entre os sintomas de que algo não vai bem na próstata estão: vontade constante e urgente de urinar, dificuldade para urinar, jato fraco ou gotejamento e sensação de que a bexiga não esvazia totalmente.

Por isso é importante visitar o médico com regularidade, principalmente após os 40 anos. Quanto aos exames de prevenção, a indicação é feita pelo profissional, mas é aconselhado que se faça anualmente. São eles: o toque retal (feito no próprio consultório com duração de cerca de dois minutos), o PSA (exame de sangue que indica se essa substância está alta no organismo) e ultrassom (feito somente se houver irregularidades nos dois exames anteriores).

Todos esses cuidados ajudam a preservar a saúde masculina, mas há algo que todos podemos fazer: divulgar informações corretas e ajudar a tratar o assunto com a seriedade que ele merece. Até a próxima edição!

Roberto Garcia Sorgi (CRM 29.772/MG) é gestor em saúde e diretor técnico da Clin-Med Serviços Hospitalares, empresa responsável pela gestão da saúde em mais de 50 municípios em Minas Gerais e São Paulo.