Projeto social oferece futebol para crianças, jovens e adultos com Síndrome de Down, auxiliando, entre outros benefícios, no desenvolvimento da socialização

A história do futebol itajubense está ganhando novos atletas! Eles são meninos e meninas especiais, que tem a T21 – Síndrome de Down, e que agora fazem parte do Projeto Social Futsal Down T21 Arena Park, idealizado para proporcionar a inclusão de crianças, jovens e adultos que possuem T21, buscando os benefícios físicos, sociais e cognitivos para eles e seus familiares, além da melhoria da autonomia, autoestima, independência e socialização.

Como crescimento do Futsal Down no Brasil, além da comprovação de todos os benefícios que o esporte propicia as pessoas com a T21, Eduardo Hideo Sato, pai de Rafael Gomes Sato, incentivado pela paixão do filho pelo futebol, viu a possibilidade de criar, em o projeto social em Itajubá. Apoiado pela esposa, Cristina Maria Ribeiro Gomes Sato, e pela filha primogênita, Fabiana Gomes Sato, ele foi buscar parcerias. Assim, chegou ao proprietário da Arena Park, Ferdinando Moreira, e juntos, concretizaram o sonho. Atualmente, 12 alunos, de três a 48 anos, fazem parte do T21 Arena Park.

Rafael Sato

Rafael
“A descoberta de que o Rafael era T21 veio durante a gestação. O exame da transluscência nucal apresentou uma alteração, e que foi confirmada após a Cris realizar o exame da amniocentese. Assim como todas as famílias que esperam ter filhos ‘comuns’, ou como muitos dizem ‘normais’, quando recebemos a notícia muitas dúvidas e medos vieram à tona. Não tínhamos conhecidos ou familiares com a T21, e muito menos conhecimento e informação sobre.
O que tínhamos era falta de informação e conhecimento sobre a T21. Assim, com o diagnóstico confirmado, começamos a estudar e pesquisar mais sobre o que era a T21, e hoje, com a facilidade em buscar informações, rapidamente começamos a entender, aprender e nos preparar. Tivemos acompanhamento de uma Cardiopediatra no final da gestação, já tínhamos conversado com uma Fonoaudióloga, uma Fisioterapeuta e até com uma Psicopedagoga, tudo antes do Rafael nascer. Com 2 meses, o Rafa iniciou a estimulação, isto porque, graças a Deus, ele não teve cardiopatia alguma (o que ocorre em cerca de 50% das crianças com a T21). Com 2 anos e 2 meses, ele começou a andar.
Hoje, o Rafael faz acompanhamento com a fonoaudióloga, Dra. Ana Daniela, e com a psicopedagoga, Dra. Valéria Parraga. Na parte física, faz o que mais gosta, jogar bola e participa dos treinos na Escola de Futebol Arena Park do meu amigo Ferdinando. A cada 15 dias, treina com seus novos coleguinhas com a T21, no projeto Futsal Down T21 Arena Park.
Com relação a escola, também conseguimos encontrar um Colégio, o Curso G9, que recebeu o Rafael muito bem e que até o momento tem nos ajudado bastante em seu desenvolvimento tanto na alfabetização quanto na questão social e interação com seus colegas. O Rafael está cursando o 3º ano do Ensino Fundamental I, já está lendo várias palavras e faz algumas continhas. Até hoje, sua convivência escolar não nos trouxe muitos problemas, e seu relacionamento com os colegas sempre foi muito bom. Ele adora assistir desenhos e filmes infantis, e adora jogar Futebol no Playstation… A coordenação motora melhorou bastante, além da sua capacidade respiratória também. Trabalhamos com ele a autoestima, o pertencimento, que acaba estimulando a sua autonomia e independência, como trocar o uniforme sozinho, calçar o meião e as chuteiras para se preparar para o treino”.

Independência
“Desde o primeiro momento, olhamos o Rafa como uma criança ‘qualquer, ou seja, sem focar em sua deficiência, no caso a T21 – Síndrome de Down. Sabemos sim de suas limitações, mas quem não tem? Isso não nos impede de cria-lo e educá-lo da mesma maneira que fazemos com a Fabiana, sua irmã mais velha. Nunca tratamos ele como ‘café-com-leite’ ou deixamos de fazer alguma coisa, por ele ter a T21. Desde o início sempre buscamos incentivá-lo a fazer tudo sozinho e nunca deixando de acreditar que ele é capaz de fazer tudo, desde que tenha oportunidade, estímulo e muito amor. Mas qual criança, com ou sem alguma limitação, não precisa disso tudo? Hoje com 9 anos, já conseguimos perceber em algumas atividades, a sua independência”.
Benefícios do Futebol Down
“Além da questão de inclusão e oportunidade, os benefícios do Futsal Down estão relacionados ao desenvolvimento das habilidades esportivas, buscando os benefícios físicos, como a coordenação motora e capacidade respiratória. E, ainda, os benefícios sociais e cognitivos, além da questão de autonomia, autoestima, independência e socialização”.

Seleção Brasileira
“Em março desse ano, o Ferdinando fez uma proposta de atividade aos alunos da Escola de Futebol, e o desafio era colocar uma garrafinha de água sobre um apoio, e em uma distância de 2 a 3 metros o aluno tinha que tentar derrubá-la com uma bola, chutando. O Rafa não pensou duas vezes e quis participar… Fiquei impressionado com a pontaria e força com que ele acertava a garrafinha. Já estava pesquisando mais sobre a modalidade Futsal Down no Brasil, que estava crescendo bastante, depois que a Seleção Brasileira CBDI de Futsal Down foi campeã em 2019. Foi quando descobri o Instagram do Técnico da Seleção Brasileira, o Cleiton Monteiro – além de técnico, hoje ele também é Coordenador Técnico da Confederação Brasileira de Desportos para Deficientes Intelectuais, a CBDI e Diretor Técnico da Federação Internacional de Futebol para Atletas com Síndrome de Down, a FIFDS (como se fosse a FIFA). Resolvi mandar um dos vídeos do Rafa acertando a garrafinha. Para minha surpresa, ele me respondeu comentando: ‘Esse vai ser craque’.
A partir daí, vendo o gosto que o Rafa tem pelo futebol, sabendo que, mesmo ele treinando com crianças típicas e conhecendo suas limitações, para ele realizar o sonho de ser um jogador de futebol, ele precisaria estar com outras crianças ou jovens com sua mesma condição… Foi quando, após ver o projeto Futsal Down de Campinas, a Ponte Preta S21, coordenado pelo meu amigo Maurício Carvalho, que é pai do Rafael de 25 anos com a T21, e do Projeto de São José dos Campos, com a Marinalva, mãe da Sofia de 8 anos também com a T21, resolvi propor ao Ferdinando lançarmos o primeiro projeto de Futsal Down em Itajubá e região: o T21 Arena Park. Iniciamos as aulas em setembro de 2021 e já temos 12 alunos”.

Lançamento oficial do Projeto
“Gostaria de convidar a todos de Itajubá, para participarem da 2ª Clínica da Seleção Brasileira CBDI de Futsal Down, nos dias 26 a 28 de novembro de 2021. As clínicas têm como objetivo principal, a fomentação do Futsal Down e levar informações às famílias dos atletas iniciantes, a comissão técnica e educadores físicos, além de toda a sociedade.
Aproveitando a presença ilustre da delegação da Seleção Brasileira CBDI de Futsal Down, no dia 27 de novembro, no Teatro Municipal Christiane Riêra, faremos o Lançamento Oficial do Projeto Futsal Down de Itajubá, o T21 Arena Park!

Para participar
“Para participar do Projeto, acesse o Instagram (@t21arenapark). Na Bio há o link da ficha de inscrição. Ou entre em contato com o Ferdinando (35 99195-1606), proprietário da Escola de Futebol Arena Park. Quem quiser também pode ir até o Ginásio do Tigrão para participar ou acompanhar uma aula. As aulas acontecem quinzenalmente: a próxima será dia 13/11/21, a partir das 10h45 no Tigrão.

PROJETO SOCIAL FUTSAL DOWN T21 ARENA PARK – Contato: (35) 99195-1606 – @t21arenapark