Confira as dicas sobre como escolher um terapeuta antes de iniciar a jornada.

Qual é a sala? Onde paro o carro? Com que roupa eu vou? Dá pra ir de ônibus? Será que tem muita gente na sala de espera?. Até há pouco tempo essas seriam perguntas comuns de um novo paciente de psicoterapia. Agora não mais, com a possibilidade de se fazer terapia online.

O meio é aquele que estiver à mão: celular, tablet, PC ou notebook – desde que haja uma boa conexão de internet. O cliente escolhe o lugar: tem gente que faz com o quarto trancado, em cima da cama. Outros, do escritório mesmo, no intervalo do almoço. E tem quem se refugie no carro. O traje pode variar de pijama a “black-tie”. O importante é o acesso, como nunca se viu antes, à ajuda que a psicologia pode dar.

O Conselho Federal de Psicologia autorizou a psicoterapia online no Brasil como exercício regular da profissão em 2018, e em 2020 flexibilizou essa prática, para facilitar a continuidade dos atendimentos na pandemia. O psicólogo precisa estar registrado na plataforma e-Psi, seguir o código de ética da profissão e assegurar o sigilo da sessão.

Alguns estudos comprovaram a eficácia do atendimento online como igual a dos atendimentos presenciais, e outros apontaram para uma eficácia ainda maior, devido à facilidade para os clientes darem continuidade às sessões. Razoável pensar assim, não? Aquela noite fria e a vontade de matar a terapia para tomar um chocolate quente… hum! Agora dá para ficar debaixo da coberta com o chocolate e ainda fazer a terapia. Sem desculpas.

E mais necessário do que nunca: com o impacto da pandemia e sua duração indefinida, têm ficado mais aparente o sofrimento das pessoas e o desgaste das relações. A sessão de psicologia é a oportunidade para a pessoa elaborar as perdas e dores impostas por esse momento, conhecer melhor a si mesma e pensar em estratégias de convivência com menos atritos. A psicologia faz isso através de processos científicos que têm como objetivo promover a saúde mental e dar condições ao paciente de enfrentar seus conflitos e transtornos.

Para poder ajudar dessa forma, o profissional de psicologia deve ser regularmente formado e registrado, com um número de CRP válido. Além disso, espera-se que ele tenha treino específico na abordagem psicoterápica que exerça. Outra coisa que se deve esperar de um bom profissional é que ele mesmo tenha sido cliente de psicoterapia por algum tempo. Assim, além de teoria, ele terá também o equilíbrio interno para poder ajudar os outros. Pegue indicações, pergunte, pesquise… e se prepare para a viagem mais importante da sua vida!

Por MARCELO CUNHA, psicólogo (CRP04/48283), terapeuta familiar, especialista em Psicologia Analítica e membro do Núcleo de Estudos do Sonho da SBPA/SP. Tel.: (35) 99822-7500 | 99100-7060 [email protected]