Adaptação e empatia com o novo consumidor

Segundo levantamento realizado pela Conversion, consultoria de performance & SEO, o e-commerce de moda apresentou um crescimento surpreendente de 95,27% durante a pandemia. Uma antecipação de tendência que fez muita loja física migrar ou mesclar suas operações para o ambiente virtual.

Apesar desta mudança de comportamento, o comércio de rua e shoppings mantém as atividades com o desafio de equilibrar pontos que são essenciais para atrair o novo consumidor: segurança, desejo, confiança e consciência.

O momento é de adaptação e de oferecer mais do que bom preço e qualidade, mas também suporte personalizado, seja presencial ou à distância. Confira as dicas:

Logística simplificada

Click & Collect: aposte na facilidade de serviço de poder comprar pelo site e retirar na loja física

Malinha delivery: a loja entrega as peças para a consumidora experimentar antes de efetivar a compra. Tudo sem sair de casa e com os mesmos protocolos de higienização

Pagamento: prefira as modalidades virtuais como transferência e QR Code. Sem contato físico ou com notas de dinheiro

Visual Merchandisign (VM)

Objetividade: deixe os produtos ao nível dos olhos e com embalagens práticas e transparentes para fácil visualização. Araras com exposição de peças espaçada também ampliam a percepção do cliente. Use técnicas de stylling e cross merchandising para sugerir opções de uso.

On e off: o VM deve estar em sintonia com outras plataformas da marca como e-commerce, Instagram e Facebook.

Ambientação

Higiene e prevenção: mantenha sempre disponível o material de assepsia da equipe: máscaras faciais, luvas, álcool gel, assim como lixeiras fechadas para descartes de luvas após cada atendimento. Deixe tapete com solução de água sanitária para desinfetar sapatos na entrada do estabelecimento.

Pré e pós expediente: limpe todas as superfícies como chão, balcão, prateleiras, cabides, diplays e manequins com álcool ou solução de água e detergente. O mesmo vale para outros objetos manuseados.

Mais proteção: provadores devem ser lacrados, sofás e poltronas inativadas e cortesias de café e degustação de alimentos também suspensos.

Atmosfera: excessos sonoros, visuais ou olfativos, podem causar ansiedade. Prefira música calma e em volume baixo. Opte por uma iluminação suave e confortável ao invés de brilhos, como o neon. Aromas também devem seguir a mesma suavidade

Experiência de compra VIP

Personal shopper ou consultoria de imagem virtual: um bate-papo por vídeo entre consumidora e uma profissional especializada pode contribuir para solucionar dúvidas, ajudar a montar looks, otimizar o tempo e manter a restrição de contato, além de ser um carinho com a cliente

Horário agendado: mantém o distanciamento dentro das normas de segurança de saúde que fortalece a confiança e também o relacionamento com a cliente

Trocas: com os provadores fechados, ofereça prazos estendidos para realizar trocas. A política de troca e procedimento de higienização devem ser comunicados previamente.

Sustentabilidade e compromisso social

Upcycling: além de reaproveitar peças de coleções passadas, algumas marcas já implantaram coletores de roupas de segunda mão para serem repaginadas, reabastecendo as araras com peças exclusivas feitas com tecidos reciclados. Um diferencial bastante valorizado

Lucro: apoiar uma causa e reverter parte dos lucros obtidos com peças sustentáveis também já é uma realidade e que traz boa reputação

Kátia Gomes | Jornalista pós-graduada em cenografia e figurino e com especialização em consultoria de imagem para o varejo.